As experiências dos Grupos com Portadores e Familiares

Oi, pessoal!

Abaixo uma cópia de entrevista da revista Poder com o neurocirurgião Paulo N.F.   Achei muito interessante colocá-la aqui porque tem tudo a ver com meu ponto de vista a respeito da vida e também sobre a forma de encarar os sintomas da Esclerose Múltipla.

Ou seja, minha opinião é de que a Esclerose se desenvolve depois de submetermos o corpo, portanto o cérebro, a uma imensa sobrecarga – a ênfase é proposital – durante um longo período. Em minha pesquisa, tenho visto que essa sobrecarga ocorre durante a infância e adolescência, tendo continuidade ao longo da adultez, depois que o indivíduo aprende um determinado padrão e continua a reproduzi-lo em seu cotidiano.

Essa “sobrecarga” a que me refiro é um amontoado de informações sensoriais e emocionais vivenciadas que se voltam contra a própria pessoa depois de acumuladas por muito tempo – anos – e “não expurgadas” do organismo de alguma forma. Na entrevista o neurocirurgião fala de EXAGEROS. Em outro post meu eu falei sobre os EXCESSOS que vejo que os portadores de Esclerose submetendo-se.

Explico: Consideraria, por exemplo, um exagero ou excesso, uma infância vivenciada como sendo cheia de abusos físicos e emocionais, bem como uma adolescência e adultez, e, em nenhum momento da vida investimento no bem-estar físico – exercícios, por exemplo – e emocional.

Não raro, ouço dos portadores que atendo ou leio em blogs de portadores, que se submetiam a uma vida rotineiramente desgastante e estressante em excesso. Esse excesso é uma avaliação que vem deles mesmos! Portanto, é o que me parece, que o organismo do portador de Esclerose Múltipla está farto de excessos de todos os tipos e de todos os lados, vividos por toda sua vida. E isso os levaria a uma sensibilidade excessiva, que, na prática, desemboca no surto esclerótico, que nada mais é que uma enxurrada de defesa orgânica.

Mas, leiamos a entrevista do neurocirurgião. E boa semana a todos!

*****************************************************************************************************

     Parte da entrevista da revista PODER, ao neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho.
http://oglobo.globo.com/fotos/2008/04/21/21_MHG_paulo.jpg

Poder: O que fazer para melhorar o cérebro ?

Resposta:

Vc. tem de tratar do espírito. Precisa estar feliz, de bem com a vida, fazer exercício. Se está deprimido, reclamando de tudo, com a autoestima baixa, a primeira coisa que acontece é a memória ir embora; 90% das queixas de falta de memória são por depressão, desencanto, desestímulo. Para o cérebro funcionar melhor, você tem de ter alegria. Acordar de manhã e ter desejo de fazer alguma coisa, ter prazer no que está fazendo e ter a autoestima no ponto.

PODER: Cabeça tem a ver com alma?

PN: Eu acredito que a alma está na cabeça. Quando um doente está com morte cerebral, você tem a impressão de que ele já está sem alma… Isso não dá para explicar, o coração está batendo, mas ele não está mais vivo. Isto comprova que os sentimentos se originam no cérebro e não no coração.

PODER: O que se pode fazer para se prevenir de doenças neurológicas?

PN: Todo adulto deve incluir no check-up uma investigação cerebral. Vou dar um exemplo: os aneurismas cerebrais têm uma mortalidade de 50% quando rompem, não importa o tratamento. Dos 50% que não morrem, 30% vão ter uma sequela grave: ficar sem falar ou ter uma paralisia. Só 20% ficam bem. Agora, se você encontra o aneurisma num checkup, antes dele sangrar, tem o risco do tratamento, que é de 2%, 3%. É uma doença muito grave, que pode ser prevenida com um check-up.

PODER: Você acha que a vida moderna atrapalha?

PN: Não, eu acho a vida moderna uma maravilha. A vida na Idade Média era um horror. As pessoas morriam de doenças que hoje são banais de ser tratadas. O sofrimento era muito maior. As pessoas morriam em casa com dor. Hoje existem remédios fortíssimos, ninguém mais tem dor.

PODER: Existe algum inimigo do bom funcionamento do cérebro?

PN: Todo exagero.
Na bebida, nas drogas, na comida, no mau humor, nas reclamações da vida, nos sonhos, na arrogância,etc.
O cérebro tem de ser bem tratado como o corpo. Uma coisa depende da outra.
É muito difícil um cérebro muito bom num corpo muito maltratado, e vice-versa.

PODER: Qual a evolução que você imagina para a neurocirurgia?

PN: Até agora a gente trata das deformidades que a doença causa, mas acho que vamos entrar numa fase de reparação do funcionamento cerebral, cirurgia genética, que serão cirurgias com introdução de cateter, colocação de partículas de nanotecnologia, em que você vai entrar na célula, com partículas que carregam dentro delas um remédio que vai matar aquela célula doente que te faz infeliz. Daqui a 50 anos ninguém mais vai precisar abrir a cabeça.

PODER: Você acha que nós somos a última geração que vai envelhecer?

PN: Acho que vamos morrer igual, mas vamos envelhecer menos. As pessoas irão bem até morrer. É isso que a gente espera. Ninguém quer a decadência da velhice. Se você puder ir bem mentalmente ,com saúde, e bom aspecto, até o dia da morte, será uma maravilha.

PODER: Hoje a gente lida com o tempo de uma forma completamente diferente. Você acha que isso muda o funcionamento cerebral das pessoas?

PN: O cérebro vai se adaptando aos estímulos que recebe, e às necessidades. Você vê pais reclamando que os filhos não saem da internet, mas eles têm de fazer isso porque o cérebro hoje vai funcionar nessa rapidez. Ele tem de entrar nesse clique, porque senão vai ficar para trás. Isso faz parte do mundo em que a gente vive e o cérebro vai correndo atrás, se adaptando.

Você acredita em Deus?

PN: Geralmente depois de dez horas de cirurgia, aquele estresse, aquela adrenalina toda, quando acabamos de operar, vai até a família e diz:

“Ele está salvo”.

Aí, a família olha pra você e diz:

“Graças a Deus!”.

Então, a gente acredita que não fomos apenas nós, que existe algo mais independente de religião.

Anúncios

Comentários em: "Por dentro do cérebro – Dr Paulo Niemeyer Filho / Neurocirurgião" (5)

  1. Eu até concordo com muitas coisas que esse médico diz. Mas algumas falas são irritantes. Eu acho que esse médico é brasileiro, não é?!? Mas eu penso que ele vive em outro planeta. Porque falar em fazer check-up preventivo em um sistema de saúde que mal atende os casos de urgência e as pessoas morrem na fila…. E mais, dizer que a vida está uma maravilha, que às pessoas não sentem mais dor…….. me parece, no mínimo um exagero!!!!

  2. DR-o tenho uma filha que teve recentemente um ave segundo a ressonancia ela esta com 300ml de sangue no cerebro isto tem curo o que devo fazer sou uma mae de 60 anos estou desesperada ela so tem 31aos me ajude pelo amor de deus

    • Senhora Diva, esses textos que a senhora lê aqui não são de forma alguma indicações sobre como tratar uma doença. Se trata apenas de reflexões que faço sobre meu trabalho com portadores de EM. Se a senhora precisa de orientação quanto a isso, somente um médico pode lhe ajudar. Essa ajuda precisa ser feita pessoalmente. Não tenho como avaliar a situação da sua filha através da internet e nem sou formada em medicina. Minha formação é em Psicologia. A senhora precisa procurar um médico Neurologista que possa avaliar e dar a adequada orientação.

  3. pesso que me ajude e me mande uma orientaçao de ajuda me acalme por favor e que deus lhe abençoe

  4. preciso de ajuda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: